TUDO ISSO NO CINEMA

Um conto erótico de Xaveco
Categoria: Heterossexual
Data: 13/01/2006 09:37:48
Nota 10.00

Oi me chamo Pedro tenho 1, 80...bem constituido...espero q gostem do conto...

Quando em São Paulo, sempre procuro dar uma passadinha em algum cinema do centro da cidade, daqueles que passam filmes pornôs.

Em uma dessas ocasiões, já livre dos negócios que tinha que resolver e já sem qualquer outra preocupação, resolvi aproveitar e assistir uma sessãozinha de sacanagem.

Chamou-me atenção o anúncio extremamente escandaloso que anunciava um filme de Cicciolina.

Como sou fissurado nas estrepolias daquela loira, não tive dúvida e comprei o ingresso já com meu pau em pé. Ao entrar na sala de exibição, só consegui mesmo ver a tela.

Estava hiper-escuro e minha vista ainda não havia se acostumado.

O que vi na tela já prometia muito. Cicciolina era devorada por dois homens muito bem aparelhados. Aquilo excitou-me ainda mais. O cacete endureceu mais ainda e o tesão assumiu o comando da situação. Fui obrigado a disfarçar o volume enfiando a mão no bolso.

Tentava desbaratinar a ereção e nem mais sabia para onde ia, já que a escuridão era tremenda. Eu continuava a ver o filme de Cicciolina levando ferro.

Tropecei aqui e ali e paulatinamente comecei a distinguir alguns vultos.

Foi o suficiente para que descobrisse que o cinema, além de bastante cheio,

estava em clima de excitação coletiva.

O filme era realmente quente e o pessoal não estava se contendo.

Um pouco a minha frente, encostado à parede, um casal já de meia idade estava em uma esfregação incrível. A mulher mostrava que era extremamente safada e cheia de tesão.

O senhor que a acompanhava parecia pouco à vontade com aquela situação. Notei também que existiam muitas mãos e bocas passeando por paus alheios. Atrás da última fila de poltronas, havia uma espécie de balcão, onde a sacanagem corria solta. Um sujeito encostado na ponta do referido local era selvagemente sugado por uma bichinha muito habilidosa que demonstrava saber tudo na arte de chupar uma boa jeba. Mas havia muito mais.

À medida que minha vista ia se acostumando com a escuridão, eu ia descobrindo, mais e mais sacanagens, tão boas quanto as que estavam passando na tela.

Um coroa muito elegante, com sua pasta executiva, postou-se de meu lado, um pouco à frente. Um carinha que estava por ali, também admirando a tudo, resolveu passar a mão no cidadão que respondeu ao carinho dando um rebolado, receptivo a situação, recuou um pouco até começar a ser descaradamente encoxado pelo rapaz.

A putaria corria solta pelo cinema. Já preocupado com a ousadia, resolvi tirar o meu da reta e escolhi um cantinho de onde pudesse ver o filme e apreciar uma ou outra sacanagem que valesse a pena. Cicciolina continuava a foder na tela... Eu continuava excitadíssimo e comecei a alisar e apertar meu cacete, enquanto curtia as chupadas e gemidos do filme.

Notei então que alguém estava olhando e vibrando com aquela minha situação.

Olhei melhor e vi duas bichinhas, uma loirinha e muito bonita.

Magra, elegante, vestindo uma camiseta estampada bem larga e um bermuda colada ao corpo. Tamanha era sua delicadeza que era quase uma mulher. Usava a roupa de forma provocante, amarrando a camiseta de forma que se pudesse ver a sua apetitosa bundinha que era bem torneadinha, empinadinha e provocante.

Tinha pernas lisas e bem delineadas. Seus cabelos eram cacheados e propositalmente desarrumados. A outra também era loira, só que de cabelos lisos e um tanto mais escandalosa que e parceira, só que com um corpo infinitamente mais gostoso.

Tinha um corpo de fêmea e trajava uma fantástica minissaia e uma blusinha decotada e larga que de acordo com seus movimentos estudados deixava aparecer seus pequenos e apetitosos seios.

Pensando bem, ela não era tão bonita quanto a outra, talvez por ser um tanto baixinha o que lhe acabava conferindo a falsa impressão de que tinha uns quilinhos a mais.

Pois bem, notei o interesse das duas que aquela altura cochichavam entre si.

Eu de minha parte, continuei no meu canto, assistindo o filme e massageando o bruto.

Com o rabo de olho, controlava o que acontecia à minha volta. Passados alguns minutos, notei que a loira baixinha aproximava-se de mim um pouco mais, deixando a minha preferida meio desprotegida num canto.

A baixinha encostou no meu braço e perguntou-me se eu não estaria disposto a me acalmar com uma loira muito mais acessível do que a da tela.

Confesso que nunca, até aquele momento, havia me envolvido com gays ou travestis.

Sempre os admirei a distância, e até destacava a beleza e a graça de alguns.

Aquela situação estava mexendo comigo e de repente, resolvi encarar a coisa de frente para ver até onde iria.

Respondi que não acreditava que pudesse haver alguém capaz de me satisfazer tão plenamente por ali. Renata, esse era o seu nome, não tirava o olho do volume formado pelo meu caralho em riste e logo replicou que se agüentasse tudo aquilo tudo ali, me garantia o maior prazer que eu já havia sentido.

O desafio me instigou ainda mais e aproveitei para pedir-lhe que me apresentasse a sua amiguinha. Renata sorrindo concordou e pegando-me pela mão seguiu toda rebolando na minha frente. Não resisti a toda aquela provocação e tratei de acariciar aquele monumento de bunda.

Em reação imediata ao meu carinho, a bichinha virou-se e disse: tarado, você sabe mesmo o que é bom, não é?? Se eu não soubesse, eu estava pelo menos descobrindo.

Chegamos até sua amiguinha e atrapalhamos a vida de um cidadão que já engatilhava enfiar na bunda da loirinha desprotegida.

Renata tratou de apresentar-me e não perdeu a chance de esquentar ainda mais a coisa dizendo a Anelise que podia dar um beijinho em mim, mas que ela havia chegado primeiro, e que sabia que ela também estava doidinha para ver o que eu tinha...

Anelise era realmente uma graça.

A voz era meio rouca e extremamente feminina. Quando ela falava, parecia um convite a luxúria, qualquer que fosse a frase. Renata então comentou algo com ela que não consegui ouvir.

Enquanto isso, um outro sujeito passou pelo corredor e apalpou a bunda dela. Puxou-me pelo braço e forçou-me a tirar a mão e expor minha ferramenta.

A loirinha fez uma expressão de surpresa e disse sorrindo: para que ou para quem é tudo isso?? Respondi que era de quem conseguisse acalmá-lo.

Anelise não tomou iniciativa. Renata estava ocupada com o outro que não parava de passar a mão na sua bunda. Aproximei-me de Anelise que entendeu o que eu pretendia.

Encostei meu volume no lado de sua coxa. Senti Anelise estremecer.

Rebolou levemente, guiando-me em direção à sua maravilhosa bundinha.

Passei a encoxá-la, agarrei a sua cinturinha e depois, subindo as mãos comecei a acariciar-lhe os seios sob a sua camiseta. Anelise agora era só tesão, falava frases desconexas, jogava os cabelos de um lado para outro e empinava a bundinha contra o meu pau, deixando-me ainda mais louco.

Eu estava vendo a hora de acabar gozando só com aquela esfregação.

A loira já ofegante sugeriu que procurássemos um lugar para sentarmos.

Achamos um cantinho, mais ou menos no meio do cinema. Ao sentar, Anelise tratou de por a mão sobre a minha coxa e olhando bem pra mim, com os lábios ligeiramente entreabertos, passou a deslizar a sua mão em direção ao meu caralho. Era delicioso. Anelise rapidamente alcançou-o, abriu o zíper da calça e o meu cinto e libertou o enorme e pulsante caralho.

Ela passou a acariciá-lo, abaixou a cabeça e passou a lamber-me a cabeça do pau.

Teve entretanto dificuldade colocá-lo totalmente dentro da boca.

Lambeu todo o meu pau e depois passou a bater-me uma punheta maravilhosamente lenta, sempre com a boca na cabeçorra do bruto. Tentei acariciar-lhe e posteriormente sugar-lhe os seios durinhos e com biquinhos pontiagudos.

Anelise percebeu que eu iria gozar e colocou a boca em posição de espera.

Recebeu o jorro direto, lambuzando-lhe o rosto e o cabelo.

Não deixou escapar um gota, lambendo a cabeça do meu pau. Feito isso despediu-se e foi embora em direção a saída do cinema.

Fui ao banheiro, e lá também, vi muita gente apoderando-se do pau alheio, e duas pessoas trancadas em um único compartimento.

A visão daquilo tudo me fez retornar de pau duro.

Caminhei ao fundo do cinema onde esbarrei novamente em Renata, que estava encostada em uma parede lateral.

Ela pegou meu braço e de brincadeira, ralhou comigo por causa de meu desaparecimento e ainda perguntou se eu havia comido sua amiga. Quando respondi que não, ela retrucou que, então, eu estava pronto para ela. Apalpei meu pau que estava duro e notei que ela mordeu o lábio inferior, convidando-me a segui-la. Subimos então a uma espécie de mezanino, um verdadeiro paraíso para sacanagens mais ousadas.

Ali, casais em pé trocavam carícias abertamente.

Algumas bichonas davam tratos em garotões, que tinha seus paus chupados por elas. Alguns solitários que tocavam punhetas diante de gays que chupavam outros caralhos. Renata parou, dizendo que ali estava bom. Já apalpava meu pau, preparando-o para novo embate.

Estávamos no fundo da sala, e um pouco mais à frente pude ver o casal de meia idade que encontrei logo que cheguei ao cinema.

Eles fodiam em pé, com a coroa com a saia levantada na bunda e o velhote socando como louco, como se estivesse prestes a gozar. Renata então agachou-se , libertou meu cacete e passou a chupá-lo selvagemente.

Senti a língua percorrer da cabeça à base, enquanto me acariciava o sacão. Levantou e disse que gostaria de ser enrabada ali mesmo, naquela hora. Topei, e vestindo uma camisinha, preparei-me para enfiar em sua tentadora bunda.

Passei a mordiscar a orelha, lamber seu pescoço, ela enlouquecida, preparava seu cuzinho para receber meu cacetão. Terminamos a preliminar, Renata lubrificou bem o seu cuzinho e a camisinha. Ficou na ponta dos pés, levemente inclinada para frente e, com as mãos, abriu bem as carnudas e já despidas polpas da bunda. Encostei a cabeça e fiz uma primeira tentativa.

Renata foi receptiva e a cabeçorra forçou-lhe o botãozinho. Uma maravilhosa trepada iniciava-se.

Apesar dos gemidos, Renata escorava-se na parede lateral rebolar aquela imensa bunda.

Pedia insistentemente que eu a arrombasse.

A bichinha mostrava-se uma fêmea de verdade, cheia de tesão e muita, mas muito mesmo, atrevida. Vai me rasga, enterra todo esse caralho, me fode gostoso seu tarado......

Confesso ter sido aquela uma das trepadas mais deliciosas que já dei,

gozando como um cavalo, recheando aquele rabinho de esperma e percebendo em Renata a sua satisfação de descobrindo o quanto pode um bom rabo com saia.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
Ox
03/03/2006 23:15:37
fala sério... viu q no cinema soh tinha viado e ainda ficou lah achando q ia ver soh o filme. Vc qria mesmo era fodê-los.
O.O
14/01/2006 02:52:31
Credo, que cinema é esse que tem uma sala propria que a galera fica fudendo expostamente?! O.O
Leitor
13/01/2006 11:48:50
Que cinema é esse, só tem viado, prefiro o iris no rio que tem streap tease, pelo menos tem algumas mulheres.
Reginaldo Gadelha
13/01/2006 10:23:32
Que é isso camarada ? Vc foi num cinema de viados ser ser viado. Ah, nessa nem Papai Noel acredita. O conto até que esta bem escrito, mas que vc é viado, isso sei que vc é.

Online porn video at mobile phone


xxvidio casada do jorroMae e puta fudeu filio estoriavídeo pornô da negra olho torto sentando na pica e virando os olhos com tesãoao entrar no quarto me deparo ela gozando muito sexo porno brasil spdeposito de porra molecadaCrentes dei meu cu virgem contos eróticosfudendo francy vestidinhoconto erotico talitaver uma superpica estourando as pregas da travesty virjemnamorada pidino pra se errabadaas mulheres bomba Dona gostosa sentando no pau do cara tem dinheiro carropoRNoPutinhas novinhas lsd ruquero ver vídeo pornô escroto carreteirosessentona casada carente de rola sozinha no fim de semanahomens nú decuéca x .vidio de homens punhetaporno doido botou amames pra chorarse masturbando com o cu enpenadoContos de podolatria 2017mulheres mortas com a bucta scheia de porraeu sento no seu pau voce mim abraca e mim beija gostoso pornosoquei a rola na sogra contoXvideo mobile priminha brincando delutinhacontos de machos dominando cornos submissosbucetinhatopesjojo todinho nuametendopatricinha do olho azul se surpriende com tamanho da rolacontos trepei com um braco de 23cmtravesti super roluda pega a mulher casada que goza so de ver o tamanho ahhhh Rubiaeneto Com imagens com movumento sexoContos eroticosporno so vidio reral tiramo a vingidadevideos di saia ma rua por baxoseduzi meu vizinho com meu seios sou novinhafedelhos tesudosx vídeo só moça bonita peidano alto na caussaXVídeos galega mostrando coxas com penugem de ouro por cima das coxasvideos de sexo bruto gostosa na posiçao que intslei tudocontos eiroticos leilaporncontos incesto mae gtsdano cu de quatovideo porno escava da sensala. adora chupar pau grande e grossoeu e minha mãe e minha irmã moramos sozinhos eu conversando com a minha mãe eu disse pra ela que eu ia tirar a virgindade da buceta da minha irmã minha mãe disse pra mim filho se você tirar a virgindade da buceta da sua irmã ninguém pode saber disso a noite eu entrei no quarto da minha irmã eu deitei na sua cama do seu lado eu dei um beijo na boca dela eu disse pra ela eu vou tirar sua virgindade da sua buceta eu disse pra ela que minha mãe já sabia que eu ia tirar sua virgindade da sua buceta minha irmã tirou seu babydool eu chupei seu peito eu disse pra ela sua buceta virgem raspadinha e linda eu comecei a chupar sua buceta virgem ela gozo na minha boca eu disse pra ela chupar meu pau ela chupou meu pau eu fui metendo meu pau na sua buceta virgem que sangro eu comecei a fuder sua buceta ela gozo conto eróticotirei virgindade de minha irma com sindrome contochantagiei minha irma casada contossocaaa com força malandroadolescência na favela conto erótico gayelas so gosta de da o cu de bruçose pra pau grandeduvida o cavalo tem que gosa bem no fundo da buceeta da egua pra enprenha elaXVídeos Visitei Dermacyddoce nanda parte cinco contos eroticosMulheres se vingando da amiga amiga humilhação amiga fetiche contos eroticos meu tio me comeu a forca e eu gosteihomem se enxuga nu e a mulher abre a porta senquerer pornopai passa mao na buceta video doidocontocontos eroticos esposa na baladacomeu o cu da filha do patrão novinha de17 pornodoidoconto erotico a pequenininhaPAU SO NAS CUNHADAS COCOTINHAS GRITANDOagora é assim mesmo boyzinha perdendo a virgindadeUm fotgrafo tirou da mulher negra nua depois que ele vio vicou de pau doro e emfio a pica nelaxvideosencostovidio de boquete profunda engolindo ate os badalosprima Pede para dormir de conchinha com prima e a subidacontos espiano no decote da minha maeqaboca novihacontos erotico fura olhoLevantei a noite e fraguei meu pai e mae no sexo gostei xnxxdei meeu cu no canavial para um caxorrocu gay rasgando por pau cabessudo e cheio de porrcontos eroticos feminino ajudei o porteiro negro a fuder eu e minha irma juntovídeo pornô da negra olho torto sentando na pica e virando os olhos com tesãoconto incesto minha irmãzinha adolecente andando encasa com essa roupinha nao da para resisticontos erdicos gay evangelicosXxvidios buceltinha de menorx videos mulher lammbendo o cusinho do homem e ele gosameu genro me fodeu cuiada provoca cuiado d xortiu de dormimulher danto o cu pra um homecom o ppu mais grante do mintoiniciou programa travesti cuzinhoadoro andar na rua c a cicinha enfiada rebolando contocontos eróticos do irmao comeu a irma depois casamentoas irmazinhas putinha da cidade de Catanduva sp.bonecas enchendo o cu da mariconaporno duas amiga core do pau cabesudoirmão com insônia come irma pornocontos eiroticos leilaporncontos eróticos-GabrielaEngolindo porra de dezenas de pintudosConto erotico apartamento 703 contos eroticosChinguei minha sobrinha de vagabunda ea visinha dacontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoporno marido esguelha a garganta profunda da esposa e gosa no fundocalça legui caladinha na casada xvideochupando no mangezal xvideosp://www.xvideos.com/videmulher gosandose soltano na cama madrasta levanta deixa o Maria dormindo e vai entrar na roleta 20 anos novinhowww xvideos sabreeu comirman tomando baio e lavando opriquito e o irmao vendojege tarado arromba tua dona apaixonado vidio porno