Passei a noite chupando meu cunhado

Um conto erótico de Anônima
Categoria: Heterossexual
Data: 16/02/2006 20:19:43
Nota -
Assuntos: Heterossexual

Hoje entrei neste site e resolvi contar a minha história. É um desabafo, mas deixo claro que não lamento o que aconteceu, muito pelo contrário, mudou minha vida completamente. Meu relato começa há muito tempo, quando eu tinha 18 anos. Hoje sou um mulherão, 1,77m de altura e 64 e poucos quilos muito bem distribuídos pelo corpo. Quando eu ando, chamo a atenção de todos, principalmente dos homens, mas nos idosos dos anos 80 não era bem assim.

Nessa época eu era adolescente, com pernas finas e carinha de criança. Poucos meninos se interessavam por mim, apesar do meu bumbum já começar a dar sinais da protuberância que hoje tanto agrada a ala masculina. Eu era magrinha, mas minha bundinha já era bem arrebitadinha e redonda. Apesar de me sentir um tanto desprezada pelos garotos da escola, que preferiam as minhas concorrentes, percebi que na minha família havia um interessado em mim.

Roberto era meu cunhado, casado com minha irmã Rita, que tem sete anos a mais que eu. Rita se casou com Roberto quando eu estava entrando na adolescência, e já tinha dois filhos quando seu marido começou a me assediar. Quando eu ia à casa de minha irmã tomar conta dos meus sobrinhos e deixá-la relaxar um pouco, Roberto arrumava um jeitinho para chegar mais cedo em casa. Ele chegava, ia tirando as roupas e entrando no banheiro, para tomar banho. Eu já sabia o que ele queria. Era sempre a mesma coisa.

Durante o banho, Roberto me chamava e pedia para que eu pegar um sabonete, uma toalha e levá-los até ele. Naquele dia eu já estava preparadíssima para cumprir tal tarefa. Aqueles minutos que antecediam o já manjado pedido me excitavam muito. Ficava molhadíssima a ponto de ter que correr para o outro banheiro e colocar um chumaço de papel higiênico na calcinha para secar o pouco que dava. Depois esperava ansiosamente o grito de meu cunhadinho nu: - Vilminha, peque um sabonete para mim. Eu esqueci de pegar... Dê para mim por cima do box do banheiro.

E como sempre, eu abria o armário que ficava no banheiro e demorava um bom tempo procurando o tal sabonete. Nesse ínterim, ficava observando o perfil do meu cunhadinho Roberto, que de propósito ficava sempre de pau duro. Eu ficava babando, vendo aquele mastro ereto, viril, que desafiava a lei da gravidade. A pica dele quase encostava no umbigo, sem ajuda das mãos. Cheia de desejos, eu colocava o sabonete sobre o box, fingindo não ver aquela cena maravilhosa: - Tome o sabonete, peque logo, Beto, e vê se não esquece mais... E ele sempre respondia: - Vou pegar, não olhe não, hein, senão você vai ver o que não pode.

Eu sempre dava uma risadinha cínica e saía cantarolando, aguardando a saída do Roberto do banho. Acho que sempre gostei dele. A sua companhia era a coisa mais agradável do mundo. Nunca senti qualquer rejeição, qualquer agressividade ou simples impaciência em relação a mim. Era a pessoa que melhor me tratava. Chegava mesmo a me dar uns bons presentinhos, principalmente no meu aniversário. Beto era um verdadeiro amigo e eu adorava ficar perto dele. Quando saía do tal banho, vinha pertinho de mim, me dava um abraço, um beijinho no rosto e me deixava ali, com a bocetinha escorrendo de vontade de trepar.

Como eu queria confessar minhas verdadeiras intenções a ele! Mas de que jeito? A minha condição de cunhadinha me prejudicava... mas eu tinha que dar um jeito de dar para aquele macho! Eu queria mesmo dar para ele. E logo. Comecei a armar um plano diabólico. Tinha que ser um bom plano, pois já havia me insinuado de todas as formas. Cheguei até a tomar banho na casa da minha irmã e pedir um sabonete para o Beto. E não peguei o sabonete por cima do box, não.

Eu mesma abri a porta do box, e com a maior cara de pau, peguei o sabonete e me mostrei para o meu cunhadinho gostoso. Ele ficou olhando com um sorrisinho maroto e saiu logo, pois minha irmã estava no andar de cima. Essa exibição foi bastante significativa. Depois disso o Beto foi ficando mais atrevido, mais à vontade e mais interessado. Eu ainda ficava com receio, afinal de contas ele já estava casado com minha irmã há quase dez anos e gostava muito dela, mas eu também queria um pedacinho do Beto para mim, nem que fosse aquele pedaço que ficava duro no banheiro. Só aquilo me interessava e fazia parte dos meus sonhos eróticos, cada vez mais doidos.

Um dia resolvi colocar um dos meus mirabolantes planos em prática. Minha irmã telefonou para mim pedindo que eu ficasse com as crianças, pois ela ia dormir no hospital, onde a mãe do Beto seria submetida a uma cirurgia. Coloquei um pijaminha sexy e curtíssimo, na maletinha e fui correndo para a casa do meu cunhado, pensando: - É hoje! Cheguei sorridente, mas percebi que Beto estava preocupado com a mãe, telefonando a toda hora para o hospital. Lá pelas 22h, quando as crianças já estavam dormindo, resolvi descer até a sala para saber como estava a mãe dele.

É claro que era apenas uma desculpa, pois eu queria mesmo era ficar perto do meu cunhadinho. E com aquele pijaminha curtíssimo, deixando minha bundinha ainda mais arrebitada e sensual, falei: - Como foi a cirurgia, Beto? Sua mãe está bem? – Ela já foi operada há duas horas e está muito bem. O perigo já acabou. Mamãe vai ficar boa..., respondeu ele com um sorriso de felicidade. Eu aproveitei o momento e perguntei: - Quer comemorar com um drink? Ele respondeu que sim, desde que eu o acompanhasse. Topei, apesar de nunca beber.

Tomamos um dose bem exagerada de Martini e ficamos sentados no tapete da sala, assistindo a um filme erótico que passava na TV Bandeirantes, depois da meia-noite, aos sábados. Percebi que Beto estava ficando meio esquisito. A bebida, o filme e eu... não podia acontecer outra coisa. Era realmente o meu momento. Estiquei as pernas e ele começou a passar as mãos em mim. Adorei. Ele começou pelo pé e foi subindo até minhas coxas. Fui ao céu. Estiquei-me todinha, consentindo e demonstrando estar gostando daqueles carinhos.

Ao me ver totalmente entregue, esticada no chão, com os olhos fechado e à mercê dele, Roberto criou coragem e começou a tirar meu pequeno short do pijama. É claro que eu não havia colocado calcinha. Ele ficou louco! Minha bocetinha surgia como um troféu e Beto logo caiu de boca. Abri bem as pernas para ficar toda arreganhada e sentir bem aquela boca, aquela língua esperta que invadia meu buraquinho virgem. Eu gemia como uma gatinha no cio, acariciando a cabeça do meu cunhado, que lambia, chupava, chicoteava a língua no meu grelo e me deixava maluquinha.

Comecei a gritar, com ele me chupando acabei gozando muito rápido, mas logo abafei o grito para não acordar as crianças. Gozei tanto que fiquei meio mole... Beto percebeu e sugeriu que fôssemos tomar um banho no quarto. Subimos. Eu na frente, rebolando aquela bundinha novinha em folha e ele atrás, com meu shortinho na mão. Entramos debaixo do chuveiro totalmente nus. Que delícia... Desta vez não estava vendo apenas o perfil do cacetão do meu cunhadinho atrás do vidro do box, mas estava com aquilo tudo na mão.

Para a surpresa do meu cunhadinho, me ajoelhei e coloquei seu pau na boca. Não sabia direito o que fazer com aquilo, então pedi para ele me ensinar. Sem muito jeito comecei a chupá-lo, sabia que tinha que tomar cuidado com os dentes. Beto me disse para fechar bem a boca e usar os lábios. Ele disse que podia parecer um pouco difícil no início mas que eu ia me acostumar, afinal, teria que fazer isso muitas outras vezes. Ele falou também para eu tentar chupar e punhetar ao mesmo tempo. Inicialmente tive ajuda de Beto, mas logo peguei o jeito de bater uma punheta certinho. Acho que fiz tão bem que Beto não agüentou e gozou.

Eu não esperava aquela reação do pau do Beto e levei um susto. Não sabia mais o que fazer, e meu cunhado transtornado não conseguia falar nada. Corajosamente resolvi colocar na boca aquele pau furioso. Foi uma sensação nova, esquisita. Aquele pauzão latejando na minha boca, aquele gosto de água sanitária, grudento, esquisito demais... tudo novidade. Beto me pediu para lamber tudo até o fim. Disse que queria que eu virasse uma mulher de verdade. Então fui chupando, lambendo tudo até acabar aquele esguicho. Beto acariciava meus cabelos e tremia como uma vara verde. Tremia e gemia, me agradecendo muito, afirmando que nunca ninguém fez aquilo tão bem como eu.

Meu cunhado me fez prometer que, pelo menos uma vez por mês, iríamos repetir a dose, até eu aprender tudo o que uma mulher deve saber... Abraçadinha nele, prometi tudo o que ele pedia, enquanto a água corria sobre nós. Saímos do chuveiro e continuamos a sacanagem na cama. Beto sabia, obviamente, que eu era virgem e não queria fazer mal a mim. Apesar deu implorar, Beto deixou claro que não iria tirar meu cabaço, pelo menos naquela noite. Contentei-me com um delicioso 69. Foi uma delícia fazer aquele cacete crescer na minha boca. Engoli o mais que pude, enquanto sentia a língua esperta do Beto na minha xana meladíssima.

Eu mal conseguia chupá-lo direito, pois ficava rebolando incontrolavelmente na cara dele, gozando e me contorcendo. Beto gozou mais duas vezes na minha boca e eu acabei me acostumando com o gosto de porra, já que ele não me deixava tirar o pau da boca. Depois disso ele virou para o lado e em pouco tempo dormiu. Quando percebi isso, puxei o pau dele para fora da cuequinha e chupei mais e mais.

Ele mal reagia, mas mantinha um sorriso nos lábios. Eu estava muito feliz, pois me sentia uma mulher de verdade. Agora só faltava levar pau. De qualquer forma, já tinha um pau enorme na boca. Que delícia! Acabei cansando dos trabalhos orais e dormi. Dormi chupando aquele pauzão. Quando Beto acordou, simplesmente não acreditou: ele estava com o pau duro dentro da minha boca e eu dormindo... Beto me acordou e mal me deu tempo para despertar. Acabou gozando na minha cara, depois nem falou comigo, tomou um banho e foi trabalhar. Mais tarde ele me ligou e disse que eu também tinha que me acostumar a me sentir uma puta. Era a parte principal do aprendizado.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
jack jonnes
07/08/2006 02:23:36
rasoavel este conto,mas pode melhorar pros próximos
kkkk
03/03/2006 02:01:22
Fock You? Fuck You... outro analfa... legal.. mas contraditório demais, se minha mãe vai ser hospitalizada, vai eu, e não minha esposa... ou por acaso ele cuidava melhor das crianças?:P
Se for verdade o cara tá frito
02/03/2006 17:35:56
Se for verdade só faltou o RG do canalha...rs
Fock You
02/03/2006 16:20:59
Bando de filho da puta o conto é muito bom. Os mesmos idiotas sempre criticando.
Observadora
01/03/2006 10:09:04
É verdade querida, seu conto é muito bom mas se contradís em alguns pontos. Mas pra eu entender melhor me diz o que teu cunhado faz? ele trabalha em que aos domingos? e a mãe dele ja se recuperou da cirurgia?
O Executor
23/02/2006 18:35:35
Sua puta mentirosa,,,mas eu te como assim mesmo. Entre em contato.
horrível
19/02/2006 01:40:44
Puta mentirosa da porra! hahahaha
BronhaMan
17/02/2006 17:05:24
É o dono do site que escreve essas besteiras.. tá na cara que ele mandou um cara especialista nesses contos escrever essa lambuja toda... uma merda.
Leomatador
17/02/2006 13:12:51
SEI NAO VIU ... CIRURGIA SABADO A NOITE, O CARA ACORDANDO CEDO PARA TRABALHAR NO DOMINGO... TEM ALGUNS LANCES QUE DENOTAM A MAIS PURA E INCONFUNDIVEL MENTIRA .
17/02/2006 10:34:55
sabem como os gaúchos tiram a camisinha depois da transa? PEIDANDO
A Outra Anônima
17/02/2006 02:34:08
Ah, foi bem escrito, com tensão sexual na medida certa. Gostei!
Gaúcho fodedô
17/02/2006 01:40:25
A la pucha!Bota vadia nessa china!Se fosse minha parente eu dava um chá de couro de boi nela prá sossegá esse furor bucetino que ela tem!
COLLOR
17/02/2006 00:54:00
ahahahahhaah, q nada cara, a irmã dela era lésbica e tava tendo um caso com a mãe do cara...auhauhauhauha..no coments
loiro40
16/02/2006 21:53:27
muito bom seu conto se nao fosse que a mae dele ficou doente e fez uma cirurgia de risco e quem foi passar a noite la foi sua irma, estranho nao acha ?

Online porn video at mobile phone


Contos pornos-fodi a mendigacontos eiroticos leilapornvovo do bumdao toma banho com neto do picaoxxvidio em quadrinho mulher de primo caderante muito safadaComi o rabo sujo de bosta do Lukinha contos eróticos gaysconto irmao cuidava melevava pro amigo me fuderswing video mulher beija depois de levar gozada na boca de outrohomem asonda mulher tocando siririca xnxxtarado nuonibucache:LX1yfsMaqggJ:zdorovsreda.ru/texto/201504548 conto minha esposa no onibusXvideo loira da camisa listrada vermelho com branco danda abucetaccu porno dddd mudo cu menininhacontopenisgrossoconvenci minha irmã fuder comigo e gozei dentronegao fode menina sem peitoxvideosconto erótico gaay sonbra de gaelXVídeos mulher que fica enfeitada com travesseiro e dá uma estudadasexo porno fui no meu ginecologista ao abri a perna ele me chupou todinha deliciave.avaca da minhas vizinhas tarada lindo bucetaoimagem de bucetinha vemelhinha saido sangue XVídeo pornô a mulher se masturbando na rua andando no meio da rua Rosada molhadinha nenhuma Bruno metrô de todo canto g***** molhadinhaxvideos encetos brother seterporno doido reais emviado por amadores com novinhas descuidadasquero ve comto erotico de mulher qui foi estrupada bem novinha ainda bebe virgem do beusofudendo uma putaconto eroticosó bundas gostosas deitada no MXcomedor de mulher alheia nu apanhaConto erotico sou madura e greludaquero ver a morena sexo gostosa batendo p****** com pau do homem roxinho e g****** pela b*****XVídeos novinha chupando rola do padrasto indagavavocê não vinha sendo 43 o marido da mãe dela fazer o carinho XVídeos consolar elaXvideos gracisseFantasia sexual: lamber um cu cacagoxvideocoletania bahianaconto erotico gay meu dono dei meu cu de presente de aniversarioxxvideo encostada maliciosalevantou o lencol pra espiar a gostosa e bater punheta xvideocobertura conto gayTia se assusta com o cacetao contosmulher tcheca dando a buceta pro enteado comernegão socando a rola no c* da neguinha fazendo ela arregala o olhogozei minha mãe é adotada saia tio transamos noite toda voz diasContos eróticos gay meninos maldososouvir barulho do pinto entrando na buceta pornôxvideo piazada metendo ns maewww.sex.porno.pauzudopadre.Mulheres safada deixando morador de rua batendo uma siririca dentro do carro no pornodoido Enteada fica sem calcinha e vai deitar mais o padrastoquadrinhos eroticos cunhada sedentanovinha deixa o cara morder seu grelo e tira sanguecontos saunas velhos chubbys gaysfudi ela e o namorado delaconto erotico com tiacontos eroticos sete anoscontos eroticos casada deu pr o marido e o filho dls tbmxvideos pretinha arriando o shorte na ruaXvideo mobile priminha brincando delutinhagemidao do viado porno chorando n aguentoome corri atras de mule ate pega e ifia opiru nela pornoincesto filho fudeu buceta mao de pois que pai viajo contos eroticocontos eroticos de fudendo dentro da barbeariaMulheres engatada e gosando com cachorros engatados nelas e um cassete enorme pulSando dentro da bucetinha ? Pica cabeçudas encaixando espertinho na xanaSou mulher casada meu compadre me fodeuvideo de colegial sedo encoxada por baixo da saia com penis pra fora entremeio as pernas e varginaPapai e titio comeram minha bundinha contos eróticossou amante do meu paiContos de marido fazendo esposa cadela confessar traiçãoquero ver mulher caindo empinando na chupando o pau do homem tortocontos eroticos de putas e putosconto erotico de meninas com caminhoneiro nas paradascontos porno gratis estupro sadomasoquismo submissão