Nem acredito que deixei outro comer minha esposa.

Um conto erótico de Coroa casado
Categoria: Heterossexual
Data: 23/09/2014 16:06:29
Última revisão: 12/11/2018 23:20:50
Nota 9.85

Não sou corno. Corno é termo pejorativo aplicado ao néscio, que se julga o tal e não dá assistência em casa. Nem imagina que sua mulher está abrindo as pernas para um monte de Ricardões. Me considero liberal, aquele que sabe diferenciar envolvimento com simples prazer.

No Japão, a infidelidade não é o fim do mundo como considera a sociedade ocidental. É condenada mais pela mentira do que pelo ato sexual em si. O fato de transar com um terceiro, não é mais grave do que fazer segredo sobre algo do dia a dia, que o companheiro deveria saber.

O movimento ¨swing¨ se espalhou pelo mundo. Naquele país, como no Brasil, não foi diferente. Revistas publicando relatos, a internet cheia de páginas excitantes, tudo contribuiu para mudar minha cabeça. No começo era pura fantasia.

Quem leu meus contos, sabe como fomos parar no Japão. Quem ainda não leu, clique no meu pseudônimo ¨Coroa Casado¨, que está em cima, como ¨autor¨ e irá encontrá-los.

Morar em outro país, longe de conhecidos e parentes também ajudou. Outro fator foi eu ter sido um ¨pulador de cerca¨ habitual. Talvez por sentimento de culpa, achava que minha fiel esposa tinha o direito de trair também. Ou no fundo, queria ser liberado para comer outras mulheres às claras.

Quando começamos a namorar, ela era virgem. Fui o primeiro e depois de vinte anos de casado, era o único homem com quem ela havia transado. Perto dos quarenta, Mika, vamos chamá-la assim, continua linda. Nissei, 1,63m, nem magra nem gorda, cabelos negros, longos e lisos. Pele branca e lisa. Bunduda para os padrões orientais. Mais sexy ainda do que aos vinte.

Os japoneses são um povo homogêneo. Diferente dos brasileiros, com sua mistura de raças. No Japão, é difícil encontrar alguém muito bonito. Os poucos se tornam artistas. Ao mesmo tempo, é raro os bagulhos também. As mulheres são em sua maioria engraçadinhas.

Minha esposa se destacava por ter um jeito mais sexy, provocante. Algo difícil de descrever. Os leitores masculinos vão entender o que estou dizendo. Existem mulheres lindíssimas, porém, sem aquele ¨algo mais¨. Outras, menos belas, tem aquilo que nos dá a impressão de gostosas. Mika é assim.

Ao longo do tempo, ela desconfiou de mim, algumas vezes, fazendo perguntas como:

- Amor, você já me traiu alguma vez?

- Humm, bem... que você acha?

Tipo de questionamento complicado de responder. Eu sempre saí pela tangente, fingindo levar na brincadeira. Acabava ouvindo advertências:

- Bom, se me trair, faça longe e bem feito. Do jeito que eu não fique sabendo, porque senão...

Assim, tomei muito cuidado nas minhas escapadas. Na cama a gente se dava bem, apesar de com o tempo, a coisa ter ficado meio metódica e rotineira. Para apimentar, passei a alugar filmes pornôs. Quanto vinha para o Brasil, comprava alguns DVD.

Lá, a pornografia é farta, porém, por estranho que pareça, não é permitido mostrar o pênis ou a vagina explicitamente. A censura obriga a colocar um mosaico em cima. O gozado é que o cu pode ser mostrado. Eu gostava de uma produtora especializada em séries realistas.

Seus filmes eram só com amadores. Tinha casos reais de incesto entre madrasta e enteado, mãe e filho, etc. Casais casados que aceitavam serem filmados fazendo trocas ou menage. Eram os nossos preferidos.

Depois de assistir, acabávamos transando. Enquanto metia, eu provocava:

- Mi, já pensou outro cara metendo em você? Comendo essa boceta gostosa?

- Ih, amor, não sei. Eu gosto de dar só pra você...

- Mas não seria bom experimentar outra pica? O cara ia adorar meter nessa boceta apertadinha...

- É... se for um carinha bonito, né?...

- Bonito quem?

Eu perguntava dando corda. Ela citava alguns atores e cantores. Enquanto bombava, eu ia falando ¨- Será que ele vai meter assim? Ou..assim?¨. E ficávamos nisso, às vezes, eu fingindo ser o fulano ou o cicrano.

Com o passar do tempo, ela foi se soltando aos poucos. Já não achava ruim quando eu olhava para outras mulheres como também, comentava sobre algum rapaz que chamava sua atenção.

Certa vez, Mika voltou do supermercado toda animada. Ela tinha ficado impressionada com um rapaz. No Japão, durante as férias, os estudantes fazem serviço temporário, chamado ¨Árubaito¨. Na outra vez que fomos lá, ela me apontou o jovem.

Enquanto ela fazia compras, puxei conversa com ele. Eiji era seu nome. Como jogava futebol, se interessou em saber que éramos brasileiros. Disse ser grande fã de Ronaldinho e Kaká. Comentou também que queria comprar uma camisa da seleção brasileira.

Eu disse que sabia onde tinha à venda. Me propus a levá-lo lá, caso quisesse. Trocamos numero de telefone. Dias depois, Eiji disse que estava de folga, perguntando se podiámos ir à tal loja de produtos brasileiros.

Para Mika falei que tinha um japonês querendo comprar uma camisa da seleção. Quando apanhamos Eiji em sua casa, ela ficou surpresa em saber que o tal japonês, era o rapaz do supermercado. Acabamos virando amigos, com eu emprestando CDs de samba. Até levei num restaurante para experimentar feijoada (que pelo jeito não agradou muito).

Notei que o garoto olhava para Mika de forma desejosa. Fomos uma vez ao cinema. Pena que o filme não tinha muitas cenas quentes. Minha esposa sentou no meio de nós dois. Alegando dor de barriga, fui ao banheiro onde demorei. Porém, apesar de deixá-los a sós no escuro, para minha decepção, não rolou nada.

Comentando sobre filmes, falei que achava esquisito os filmes pornôs japoneses terem o tal mosaico bem nas partes íntimas. Disse que os filmes brasileiros eram totalmente explícitos, livres de tarjas, algo proibido naquele país. E que tinha vários em casa. Eiji ficou super interessado em vê-los.

Falei para Mika que tinha convidado o rapaz para assistir DVD em casa. Sugeri que ela vestisse algo sexy para a ocasião. Nosso apartamento é pequeno, 2 LDK, ou seja, dois quartos, um dêles servindo de sala. Era onde estava a TV. Começamos a beber umas latinhas de cerveja. Depois coloquei uns filmes nacionais.

O rapaz estava embasbacado, assistindo as cenas de sexo explícito. Não conseguia disfarçar a ereção do seu membro inquieto. O clima esquentou mais, quando Mika apareceu de camisola transparente, só com a calcinha por baixo.

Excitado, eu tinha preparado tudo. Estávamos sentando sobre o ¨shiki-buton¨, uma espécie de colchonete para dormir. Falei para minha esposa sentar entre nós dois, enquanto na tela, rolava cenas quentes de sexo. Para deixá-los à vontade, fui fumar um cigarro lá fora.

Nem assim rolou nada. O rapaz todo respeitoso e minha mulher constrangida. Para esquentar, alegando calor, tirei a calça do agasalho e a camiseta, ficando só de cueca. Abaixei a alça da camisola da esposa, expondo seus seios redondos e firmes. Caí de boca, chupando os biquinhos, ante o olhar assustado da nossa visita.

Mika relutava um pouco, dizendo sem convicção ¨- Não, para, amor. Agora não¨. Arranquei a calcinha, passando a mamar na xoxotinha. Ela logo gozou na minha boca, ficando toda melada. Tirei a cueca e a penetrei, metendo gostoso. O tesão era tanto que logo gozei, enchendo de porra seu buraco estreito.

Dava para ver que Eiji estava com o pau estourando de inchado. Peguei uma camisinha e estendi a ela dizendo em português, sabendo que o visitante não entendia:

- Olha como o garoto está tarado por você! Pode dar pra ele que eu deixo!

Mika até pegou a camisinha, olhando para o garoto que parecia não acreditar no que estava acontecendo. Ela pensou um pouco e me devolveu o preservativo dizendo:

- Não, amor, não sei, acho que não quero.

- Mas, Mi, veja como ele tá tarado! Você vai deixar ele ir embora assim?

Ela se achegou nele. Desafivelou o cinto com total colaboração do garoto, abaixou a calça e cueca. Apareceu um cacete quase do tamanho do meu. Ela pegou e começou a punhetá-lo. Mal começou, ele já gozou, dando uma esporrada forte, com o primeiro jato subindo alto e os seguintes aos borbotões, melando a mão da minha mulher, o colchonete, as coxas e até parte da calça dele.

Mika foi buscar a caixa de lenços de papel para ele se limpar. Depois, correu ao banheiro para lavar as mãos. Para desanuviar o clima, fiquei conversando com o japonês, como se nada tivesse acontecido. O cara deve ter pensando ¨que casal maluco¨. Rss.

Depois que Eiji foi embora, acabamos transando mais uma vez. Enquanto fodíamos, falamos sobre o ocorrido:

- Você não queria dar para um rapaz bonitinho? Você mesma disse que o Eiji era um gatinho...

- É, amor, mas, você ia mesmo deixar ele me comer?

- Claro que ia. O cara ia gozar dentro da camisinha. Sem problema.

- Sério mesmo? Você não ia ficar com cíumes? Não ia achar ruim depois?

- Não, claro que não! Eu queria ver você gozar no pau dele...

- Verdade mesmo, amor? Jura?

- Juro.

A transa foi bem mais entusiasmada. Não só de minha parte, mas, dela também, que pela primeira vez, tinha pegado num pau de outro homem. Depois de gozar, apesar do tesão, senti um certo alívio ao pensar que ela ainda continuava só minha. Algo confuso, que me causava um misto de prazer e apreensão.

Continuamos assim por meses. Foi quando soube que em Toquio, tinha uma casa frequentado por casais. Disse para minha mulher que as mulheres iam para se exibir. Só omiti que também trocavam de parceiros.

Resolvemos ir conhecer. Nesse dia Mika se produziu, colocando uma mini-saia preta de cetim, blusa branca decotada e saltos altos. Como não usava sutiã, os biquinhos dos seios aparecendo. Por baixo, só uma calcinha preta fio dental.

Pagamos o ingresso e entramos. A casa tinha vários ambientes, todos na penumbra. Havia sofás espalhados em todos os cantos. Neles, vários casais se amassando. Minha esposa sacou na hora que era uma casa de swing.

Percebendo que ela não estava à vontade, sentamos num sofá e ficamos só olhando. Na frente, dois casais atracados. Num deles, o cara mamava nos seios da mulher. Ao lado, o outro casal começou a transar, com ela dando de quatro. Nisso chegou um rapaz, que sentou ao nosso lado e ficou também assistindo.

Eu já fiquei de pau duro, vendo a sacanagem que rolava. Reparei que o homem ao lado, ficava mais olhando para minha mulher do que para os casais à nossa frente. Ela, pelo jeito, não estava importando muito em ser apreciada pelo cara.

Nisso minha esposa falou no meu ouvido:

- Benzinho, o cara aí encostou a mão na minha perna.

Olhei de soslaio, não notando nada de anormal. Nisso, percebi a mão do sujeito avançando, chegando na barra da saia. Senti que sua respiração acelerou em meu ouvido. Logo depois ela disse:

- Benhôo, o cara está enfiando a mão no meio das minhas coxas...

Sem saber como agir ou o que dizer, fiquei quieto, só esperando para ver no que ia dar. Minha esposa rígida e imóvel, com os ombros encolhidos. Nisso, a respiração da Mika ficou arfante, dizendo apavorada:

- Beeem! Ele tá querendo me bolinar!

Excitado pelo que estava acontecendo, só pude dizer no ouvido dela:

- Relaxa. Se você gostou dele, abre as pernas e aproveita.

Vendo que nem eu e nem ela não falamos nada, o rapaz foi ficando mais ousado. Com a mão toda enfiada por baixo da saia da minha mulher, já nem disfarçava, sentado meio arcado para frente, bolinando a boceta da minha esposa, que até respirava com dificuldade.

Mika pelo jeito estava gostando da brincadeira. Ergueu um pouco o quadril e até a saia, que já era curta deixando à mostra a calcinha fio dental. O carinha ficou doido ao ver a peça íntima. É que as japonesas não usam esse tipo de lingerie. As peças sensuais são enormes, todas rendadas, mais para o estilo gracioso do que sexy.

Com o dedo afastou o fio de pano, expondo a xaninha. Caiu de boca, chupando cheio de vontade. ¨Puta que pariu! O cara está chupando ela!¨. Foi tudo que pude pensar. Conheço bem minha mulher. Ela adora ser chupada e depois disso, se entrega totalmente. Com frio na barriga, pressenti que o carinha ia conseguir meter nela.

Não deu outra. Logo o amasso corria solto, com inteira colaboração da minha esposa. Ela toda excitada era quem tomava a iniciativa. Trocava beijos profundos com o rapaz, que ia tirando a camisa, sapatos, meias, calça e cueca, mostrando um pau duro e inchado.

Tive certeza que o momento ansiado e temido se aproximava quando ela, de forma apressada, tirou a calcinha, jogando para mim, que estupefato, assistia imaginando o que viria em seguida. Ela ajudou o rapaz a abrir os botões da blusa e caísse de boca, mamando nos biquinhos.

A sacanagem rolava solta no recinto. Eu era o unico que não participava. Só fiquei ali assistindo, o pau a ponto de estourar de tesão. Mika caiu de boca no cacete do cara, fazendo aquela gulosa que só eu sei, como é deliciosa. O sujeito começou a gemer, sentindo a rola chupada pela boca quente e macia da minha mulher.

Depois, trocaram de posição, com ela deitada no sofá e ele ajoelhado na frente. O sujeito chupou de novo a xoxotinha. Ela deixou escapar uns gemidos. O safado se levantou e minha mulher abriu as pernas. Ela ia dar para outro! Antes que ele metesse nela, interferi:

- Gômú, gômú! Namá dewá dame! (Camisinha, camisinha. Sem ela não pode!).

Preocupado, pensei em ir até a recepção, onde tinha uma maquina automática que vendia preservativos. Nem precisou. O novo macho dela pegou a calça jogada no sofá, tirando uma cartela de camisinhas do bolso.

Destacou uma e com os dentes, rasgou a embalagem. Enquanto ele encapava o cacete, pude observar melhor sua ferramenta. Pode parecer esquisito, mas, me deu satisfação constatar que o pau dele não era maior que o meu.

Ao mesmo tempo, olhar aquele caralho tão pertinho da boceta exposta da minha mulher, me causou um pouco de cíumes. Afinal, só o meu pau tinha entrado naquela gruta estreita. Acho que fechei os olhos por uns instantes. Uma sensação de ¨nem quero ver¨.

Mas vi. Tive de olhar quando a piroca dele entrava nela. Ela é bem apertadinha. O cara teve que forçar o quadril empurrando o mastro para entrar nela. O cacete foi sumindo, mais e mais, invadindo as entranhas da mulher, que até então, só tinha sido minha. Pelo jeito que a bunda branca do cara arcava para frente, entre as coxas brancas e lisinhas da Mika, a penetração era profunda.

Logo começou a mexer o quadril, metendo nela com tudo. Olhei para a cara da minha esposa, que de olhos fechados, recebia as socadas dele, suspirando forte a cada entrada mais funda. Não demorou muito para iniciar os gemidos, ao ritmo das bombadas. Acho que estava mais relaxada, se acostumando ao corpo do estranho.

Por um instante, fantasiei que não era minha esposa e sim, outra mulher dando gostoso. Aquilo me confortou um pouco. Mas logo caí na real. Era mesmo minha amada mulher que estava embaixo de outro macho. E pior, pelo jeito que gemia e colaborava rebolando as ancas, estava gostando!

Sempre de olhos fechados, ela colocou a costa da mão na boca para abafar os gemidos que ficavam cada vez mais fortes. A cada socada, escapava da sua boca o som de ar saindo dos pulmões. Suas pernas entreabertas, facilitando o trabalho do macho que a possuía.

Ver assim ao vivo, a nossa esposinha dando gostoso para outro é uma loucura surreal. Não dá para explicar os sentimentos que afloram, vendo outro macho metendo naquela que amamos e sempre só havia dado pra gente. Ainda mais que ela gemia de prazer, a cada bombada do cara.

De repente, Mika soltou um grito rouco e parou de mexer, apertando-o com as pernas. Ela tinha gozado no pau de outro homem! Ele a beijou na boca e continuou metendo. Sua respiração arfante denotava todo prazer que meter na minha mulher proporcionava. Apesar de excitado pelo que acontecia, algo dentro de mim torcia para que terminassem logo.

O sujeito não demorou para apressar o ritmo e acabou gozando, enquanto dizia um monte de coisas em japonês. Ficou parado por instantes, com as ancas grudado no baixo ventre dela. Devia estar com o pau pulsando dentro das carnes dela, soltando porra aos borbotões.

Minha esposa ali inerte, toda mole e entregue. As mãos crispadas, enlaçando firmemente a costa daquele desconhecido que tinha acabado de fodê-la. Quanto o cara saiu dela, deu para ver que a camisinha quase tinha saído, da ponta até o meio caída, tão cheia de porra.

Mika nem colocou a calcinha. Pegou na minha mão e pediu para irmos embora logo. Na volta, dentro do carro, um silêncio chato. Tentei quebrar o gelo, porém, a esposinha não estava para muita conversa.

Mal chegamos em casa, eu de pau duro, louco para fodê-la. Acabamos transando de forma animal, sôfrega, como se fosse a primeira vez. Ela me deu gostoso e eu a comi com muita tesão.

Na hora em que tinha outro orgasmo, Mika disse:

- Eu te amo, eu te amo. Sou sua, meu amor, só sua!

Durante um bom tempo, nossas transas foram bem quentes, relembrando aqueles momentos da sua primeira infidelidade. Nunca ficamos sabendo nem o nome do cara que me colocou o primeiro chifre.

Apesar de eu insistir, Mika não quer mais saber de outras aventuras. Para ela, uma vez só já bastou. Não sei se é por arrependimento ou com medo que isso possa estragar nosso casamento.

Passado o choque inicial, acho que não houve nada demais. O fato da mulher da gente trepar com outro, é mais pela chateação dos outros, se o fato deixar de ser segredo. Afinal, outra pica dentro dela, em ultima análise, é apenas um contato, tal como um aperto de mão. Se causa prazer a ela e seu parceiro, que mal há?

Que ela gostou, não tenho dúvida. Sei que ela tem alguns amigos virtuais e troca e-mails com eles. Às vezes, até me mostra fotos dos caras. Eu incentivo, porém, ela diz que são só admiradores.

Será que ela está querendo experimentar outro?

***********************************

FOTOS - Autorizei a divulgação a enviar fotos da minha esposa. Deixe seu e-mail nos comentários.


Este conto recebeu 15 estrelas.
Incentive Coroa Casado a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
26/02/2020 21:01:37
Adorei sua história, muito bem escrita e tesuda. Adoraria ver as fotos. Sua nota é dez Abraço
16/02/2020 14:28:16
Quero dar os parabéns, pois é uma ótima história, também concordo com vc, na verdade as mulheres buscam outro relacionamento extra conjugal, por ter um banana ao seu lado. Mas ainda bem que vc é um homem especial que sabe agradar a sua esposa. Vou deixar meu imail pra vc me enviar umas fotos e eu também vou lhe enviar. Beijos do casal Denis e Nina.
30/01/2020 01:31:35
Resolvi ler essa primeira experiência dela e não me surpreendi nem um pouco, você escreve de forma maravilhosa, queria eu estar nessa casa de swing e ser possuída assim sem perguntas, sem frescuras e sem culpa... Em fim... Já tive minhas pequenas histórias, eu aconselharia ler "Uma noite de princesa com o Bruno", foi o meu primeiro contato com seu clube de cavalheiros.
27/01/2020 09:33:44
Baita relato este, Coroa. Sou tarado pra pegar uma oriental, coisa rara aqui no sul. Que bom que tu abristes cancha para outros comer tua doce esposinha. Nota máxima pra ela, com mil estrelas. Bjs calientes.
27/01/2020 08:32:42
Parabens, conto delicioso, ver a amada no pau de outro da um tesão incrivel, eu adorei ver e conferir no rosto dela o prazer que ela sentiu, continue amigo e mande fotos e continue vendo meus contos, abraços :
02/01/2020 16:06:21
Sou fascinado por asiáticas e adoraria um dia em transar com uma. Seu relato foi muito excitante e merece a nota máxima. Parabéns! Obrigado por ler o meu conto "No cinema em SP com casal".
01/01/2020 12:32:22
DENTRE MAIS DE CENTO E CINQUENTA MIL CONTOS, ESTE É SEXAGÉSIMO-OITAVO (68) MAIS COMENTADO DO SITE, COM 236 VOTOS. Muito bem escrito, merece a nota máxima.
28/11/2019 16:01:11
Muito bom esse conto mano!!! Que delícia de mulher vc tem. Parabéns!
06/11/2019 22:12:13
Ótimoooo !!!!
26/09/2019 00:15:54
Excelente.
17/09/2019 05:56:22
Obrigado pela visita e o comentário no meu relato.Bom, adorei seu relato, muito excitante mesmo, fiquei com muito tesão ao ler. Parabéns gostaria de fazer um pedido para vc, e se possível gostaria de trocar e-mails sobre esse assunto. ABS
09/09/2019 22:06:22
Primeiramente, obrigado por ter lido e comentado meu conto "Enfim corno - O realizar de um desejo", e gostaria de dizer que me identifiquei muito com o que aconteceu com vc. Eu também era, aliás, ainda sou um pulador de cercas. Adoro mulheres casadas, cujos maridos não sabem dar o devido valor mas, em dado momento, a coisa inverteu, e quis o destino que eu desejasse ver minha esposa ser possuída por outro homem. Como vc descreveu bem em seu conto, corno de fato,é aquele que toma uma bola nas costas por não dar assistência...somos liberais e nos intitulamos cornos por mera safadeza...rsrsrs. Seu conto também me deixou de muito excitado...parabéns!
07/09/2019 02:30:29
ótimo conto, muito excitante e sensual, parabéns ao casal pela cumplicidade,
05/09/2019 20:52:15
Show conto muito legal email:
04/09/2019 18:29:42
Uau!! Que tesão... sim, como vc comentou no meu conto, sinto também uma ponta de ciúmes ver minha mulher com outro. Mas é o ciúmes misturado com o tesão de ver a amada com outro macho que faz a adrenalina aumentar. Faz o corpo entrar em ebulição.
04/09/2019 09:09:58
Que história mais gostosa de ler, foi tão bem narrada que quase pude gozar sem tocar meu membro 10 e pouco pra vocês. Fico guardando as fotos e se quiserem contato podem ficar a vontade.
02/09/2019 01:36:09
safadona email:
21/08/2019 16:25:19
Não acredita mas deixou. O comedor ganhou metendo na tua esposinha e nós também, podendo ler esta história tão excitante e bem narrada. Parabéns.
20/08/2019 09:14:04
16/08/2019 14:52:15

Listas em que este conto está presente


Online porn video at mobile phone


Sodomizando mae e filha contosealiando la vagina a mi primaeu e minha amiga fomos iniciada na zoofiliaxvideo porno erotico esposa traino o marido ela dano o cuzinho americanaxvideos incesto tia provoca garoto de. roupa transparente simplesmente nua por baixosafadezas com meu cunhadinhoxvidio frre com rabos giganteQuilombola comendo gay conto eroticoler conto erotico de deficienteprocurando várias fotos de cão fêmea vários animais fêmeas fazendo sexo anal e vaginal com homem da pomba grande e grossa no prato ele goza na vagina no ânus que a galera correcasada resolveu trair o marido e leva a pior negao arregasa o rado delapornor corno gosa na buseta melada de porra domegaomulher esculhanbando is outros no comentario do nariz thifanymeninas crescendo peito e cabelo na pepequinhaver videode mulher. gozando nno pinto bem grossohomen andando com um plugue anal atolsdo no cuvídeo porno mulher faz sumi dentro dela penes de quarenta centímetro dentro delasonifero no acampamentocontos eiroticos leilaporncontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgew.w.w.vedio sexy acunhadanovilhas rebelados no pauxvidio baxinha gozou enfiando o dedo bem ligeiro na bucetavideos novinha di saia porbaxo naruasexo soumenti com corno chupando porra de macho na buceta da esposavideo de padrasto tentando resistir a enteada sentando no colo deleContos eroticos transando com sobrenaturalnovınha fudendo no motelPornô homem músculosó fodendoos melhores vídeos de pornô a mulher metendo com menino que entregavahd xxx descabaca teenvidio porno crente curioza pra parA pega pica eacaba sendo estrupada ela cota tudocunhadinha novinha pega cunhado pelado no quarto e fica louca querendo f****contoerotico eu namorada mae e tiopotria nuoniboslevei minha esposa num glory hole conto realmagria vingens novia q sederam mal napica xvideos.comcontos de cú de sobrinhaisso viadinho chupa minha rola engole tudo logo vai engolir ela toda nesde cuzinho apertadomulher nao aguenta e goza muit de qayrensinei a minha enteada a chupar de finalzinho hoje come elayaho tias vocês ja imaginario trasando com sobrinhosxividios bucetasomtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1velho pauzudo machuca a casada a forcamirtes dando a buceta na igrejaConto gay com o padrasto coxudocontos de sexo depilando a sogracuckold adeptosvídeos de veias tirando a caucinha dando o cu pra velhoquero ozap de um sugado de bucetaContosveridicos contados por novinhasMeu+tio+ficou+brabo+com+migo+e+arrombou+meu+cu+conto+eroticomeu marido mim traiu mim vinguei e de o cao contos eroticoseja perguntei a vida de sexo de travesti pornô com a nossa prima de vozgosdosa dondoVou contar mecomeram na frente do meu maridocontos picantes limão com irmão depois de 50 anos de idade eróticofamilia surubaContos picantes ainda virgem fui abusada por um entregador velhocracudas da beira do rio amazonas nuasnegao pedreiro cumeno cu dá patroa deletransei com uma senhora crenteSitio moto sobrinho conto eroticoconto erotico do andarilho com o gayMulhedoida.pra.goza.cpm.pau.nocuconto erotico gay negao dominador gosta de maltratar viado brancoxvidio com mocabiqecasada fica excitada ao ver o cavalo cruzar com égua no YouTubearegasando a busetada tiafiado loiro bonito e gostoso metendoContos eroticos incestos a forca netinhassuma mulher fortecavando pocopegou a mulher casada escondidoxvidiosContos eroticos:Fui fodida por varios roludos no cinema chorei de dor e pedir para pararem